quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Natação alia descontração e qualidade de vida para os cães nos dias quentes de verão

A natação ou brincadeiras realizadas na água têm sido grandes aliadas quando o assunto é combater o sedentarismo nos cães. Segundo o Dr. João Carlos Colombo, veterinário responsável pelo Pet Hotel Dog Life, espaço em São Paulo especializado em hospedagem e Day Care para cães, a atividade beneficia o aparelho cardiorrespiratório, fortalece as musculaturas e ainda favorece o gasto de energia. “Pelo impacto na água ser muito menor, o exercício também é indicado para animais com problemas nas articulações, evitando os traumatismos”.
Crédito Imagem: Pet Rede

Assim como para humanos, a natação é ideal especialmente para os dias mais quentes, e ainda alia descontração e socialização entre os cães. Segundo o veterinário, o exercício de baixo impacto não tem restrições de idade, podendo ser feito até mesmo por animais idosos. “Contanto que haja sempre a supervisão e acompanhamento de um responsável, a natação é mais do que indicada”.
Segundo o Dr. João Carlos, a frequência das atividades deve ser de no máximo três vezes por semana, não sendo aconselhável a permanência do animal por mais de duas horas na piscina. “Se a água for clorada, o cuidado deve ser ainda maior, já que a substância danifica a pelagem do cão”. Nesse sentido o médico explica que é necessário dar um banho no pet logo após a natação, para retirar o excesso de cloro. “A secagem dos pelos também deve ser feita para evitar dermatites e problemas respiratórios”.

Adaptação e traumas na água
Um dos principais objetivos da natação é proporcionar diversão e qualidade de vida para os animais, mas para que os cães possam aproveitar de seus benefícios, eles precisam vencer a primeira barreira: o receio de entrar na água. “Alguns são nadadores natos, como o Labrador e Golder Retriever, mas muitos têm medo de entrar e brincar na piscina”, explica o veterinário. “O ideal é que a piscina seja própria para animais, com escadas submersas e com a água em um nível bem baixo para evitar afogamentos e traumas”.

O veterinário explica que no Pet Hotel Dog Life buscou justamente uma estrutura que atenda as necessidades dos atletas peludos. “Utilizamos uma piscina de 10m x 1m e profundidade de até 60 cm de água, além das rampas de fácil acesso”. Para o Dr. João Carlos, a melhor forma de não causar traumas é começar deixando a piscina vazia, para que o animal caminhe em busca de brinquedos ou petiscos. “Após o conhecimento desse espaço com brincadeiras, introduzimos aos poucos a água”.

Depois da fase de adaptação, o veterinário explica que os cães devem ser conduzidos para uma piscina maior, tendo o cuidado para jamais forçar sua entrada na água. “Uma das técnicas que utilizamos é carregar o cão com colete salva-vidas em nossos braços e com o corpo submerso, aos poucos soltarmos o animal”. Outra forma utilizada para estimular os animais a entrarem na água são os brinquedos flutuantes, ou deixá-los observando outros animais nadando na piscina. “Em último caso pedimos para o proprietário entrar na piscina e tentar atraí-lo com petiscos e brinquedos”.

Sobre o Pet Hotel Dog Life

Com uma proposta inovadora, que reúne lazer e bem-estar para os cachorros que vivem em São Paulo, o Pet Hotel Dog Life oferece mais de 1000m² de espaço para seus hóspedes de quatro patas. Idealizado pelo veterinário João Carlos Colombo e sua esposa, Renata Gomes Pereira, o pet hotel dispõe de serviços pensados para melhor atender seus clientes caninos, como creche, banho e tosa, taxi dog, pet boutique, natação, adestramento, agility, fisioterapia, massagem, ofurô e acupuntura. E para garantir a segurança dos animais, o hotel conta com a supervisão de educadores devidamente treinados e equipe veterinária. O Dog Life também dispõe de estrutura que inclui piscina, quadra de esportes e 40 canis individuais. Além do serviço de hotelaria, o Dog Life oferece a opção Day Care com horários flexíveis: de segunda à sábado, das 8h às 21h; domingo das 9h às 18h. De acordo com a necessidade do dono, o horário pode ser reajustado.
Fonte:
blogs.jovempan.uol.com.br
Link:

Cadela faz amizade com raposinha órfã e a ensina a brincar

Caso lembra até filme de sucesso da Disney; saiba onde aconteceu

A raposinha Anuska aprendeu diversas brincadeiras com a cadelinha Sadie
Caters

Um fotógrafo britânico que resgatou uma raposa órfã após a mãe do filhotinho ter sido atropelada se surpreendeu ao vê-la se tornar companheira inseparável de seu cão da raça jack russell terrier.

A raposa Anuska, atualmente com oito meses de idade, foi encontrada por um fazendeiro no Condado de Berdfordshire, no Reino Unido, com outros oito filhotes poucos dias após seu nascimento.

Enquete: Você acha que a amizade entre a cadela e a raposa vai durar?

O fotógrafo Brian Bevan, de 61 anos, levou-a então para casa, onde já vivia com Sadie, a cadelinha de dez anos de idade.

Logo Anuska passou a seguir os passos de Sadie. A proximidade com a cadela levou a raposa, animal que não é particularmente conhecido por sua proximidade com os humanos, a aprender truques e hábitos do "melhor amigo do homem".

- Anuska e Sadie se deram bem e começaram a brincar sem problemas a partir do instante em que se encontraram. Não houve nenhuma hostilidade.


Incansável

A amizade dos dois animais se tornou uma oportunidade única para Bevan fotografá-los em cenas que lembram as do desenho animado da Disney O Cão e a Raposa, de 1981, que conta a história da amizade de dois filhotes.

Bevan, que começou a fotografar cenas da vida selvagem há cinco décadas, diz que os dois animais gostam de passear e de brincar juntos e competem para ver quem pega primeiro a bola atirada por ele.

- Não é nenhuma surpresa ver um cão saltando, mas ver uma raposa fazer o mesmo é outra coisa. Anuska adora brincar de pegar a bola, pode fazer isso o dia todo sem cansar. O talento pouco usual dela certamente me deu várias oportunidades boas para foto nos últimos meses. É absolutamente fascinante de se ver.

Fonte:
entretenimento.r7.com/bichos
Link:

Gato é 'candidato' ao Senado dos EUA

Dono 'lançou' a candidatura de Hank para criticar políticos.
Brincadeira na Virgínia ganhou popularidade inesperada.

O americano Anthony Roberts resolveu lançar a candidatura de seu gato, Hank, ao Senado dos EUA em 2012.

Hank, que vai "disputar" uma vaga pelo estado da Virgínia, usa gravata, tem um site oficial e até uma peça de publicidade.

O objetivo de Roberts era satirizar o status quo político americano.

Tudo começou como uma brincadeira, mas acabou ganhando popularidade.

O site de Hank chegou a cair por excesso de acessos.


O gato Hank em sua foto oficial de campanha (Foto: Dang N. Le, Hank for Senate 2012 Campaign/AP)
O gato Hank em sua foto oficial de campanha
 (Foto: Dang N. Le, Hank for Senate 2012 Campaign/AP)

Fonte:
g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia
Link:

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Cãozinho vira celebridade na China por abraçar bicicleta de dono

Além de fiéis, cãezinhos como o Li Li também são pra lá de fofos

Não existe bicho -- nem o humano -- mais fiel do que o cachorro. O animal é tão leal que a torcida do Corinthians deveria se chamar Cães da Fiel e não Gaviões, que, convenhamos, é um bicho bonito, mas meio traiçoeiro.

Bem, lá na terra do camisa 200 do Timão, a China, um golden retriever virou celebridade justamente por causa de sua fidelidade.

Li Li guarda a bicicleta de seu dono, Luo Wencong, todos os dias. O sujeito não precisa nem usar cadeado. Basta deixar a magrela encostada, que o cachorro fica lá, de olho. E ai de quem tentar roubá-la.

Os habitants de Nanning, capital da província de Guangxi, já apelidaram o cãozinho de Li Li “o cachorro que abraça bicicletas” por causa o curioso hábito do animal.

Luo garante que esta não é a única habilidade de Li Li. O cachorro também sabe contar, carrega a cesta de compras na feira e leva o lixo para fora de casa.

“Ele é um cachorro muito inteligente. Converso com ele o tempo todo e ele me entende muito bem”, conta Luo. “Já me ofereceram muito dinheiro para compra-lo, mas nunca vou vende-lo”, completou.

Fonte:
noticias.uol.com.br/tabloide
Link:

Cães de rua fazem companhia a coveiro e a catador de lixo

Ele é o melhor amigo, mas também pode ser vítima da maldade humana. No quarto capítulo da reportagem especial sobre os cães, você vai conhecer histórias de fidelidade canina. E de animais que tiveram a sorte de ganhar um novo lar. Visite o UOL Notícias



 e outros vídeos - UOL Notícias


Fonte:
noticias.uol.com.br/videos
Link:
http://noticias.uol.com.br/videos/assistir.htm?video=caes-de-rua-fazem-companhia-a-coveiro-e-a-catador-de-lixo-04024D1B3860D0A92326

Por que os cães em carros estacionados latem muito?

Você já deve ter encostado ou passado perto de um carro com um cão dentro que começou a latir e rosnar em sua direção. Descubra qual o motivo dessa reação 
CETAC Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária ( www.cetacvet.com.br ) tel.: 11 2305-8666 


Fonte:
tvuol.uol.com.br
Link:

Petcure ganha adeptos em Curitiba

Crédito Imagem: Pet Rede

Em Curitiba, a Casa do Produtor oferece alguns produtos diferenciados. Cama beliche, sanitários higiênicos, compostos por uma grama sintética. Os produtos variam nos tamanhos padrões P/M/G e os valores de R$ 300,00 a R$ 600,00. Além desses artigos, o pet shop possui a opção de petcure(pintura em unhas de cães e gatos), com esmalte especial em cores como rosa, vermelho e amarelo. O preço varia de R$ 10,00 a R$ 15,00, dependendo do tamanho do animal. A Casa do Produtor fica localizada na Rua Engenheiro Rebouças, 1826, bairro Rebouças.

Segundo o veterinário, André Obladen, estes mimos podem causar danos futuros. “Se todos os dias, por um período significativo seu animal de estimação estiver usando sapatinhos, por exemplo, acredita-se que ele possa vir a desenvolver algum tipo de artrose”, comenta. Para ele estes acessórios mudam a rotina e fisiologia do animal, por isso é preciso questionar-se sobre sua real necessidade. “Independentemente do produto utilizado é preciso que ele satisfaça o animal, e não somente a vaidade do proprietário”, conclui Obladen.

De qualquer forma, o mercado continua inovando e acompanha os desejos dos proprietários. O Fashion Dog do Shopping Curitiba, especializado em cães e gatos, possui alguns acessórios práticos, como os cintos de segurança para transporte em carros, previsto no Código de Trânsito Brasileiro, por R$ 35,00.

Guarda-chuva com coleira para o cão não se molhar em dias de chuca por R$ 55,00. Outro artigo que faz sucesso entre o público é a casinha de dormir do Snoopy, por R$ 170,00. Mas há também sapatinhos para cães, como por exemplo, All Star.

O Armazém do Pet no PolloShop Champagnat, possui diversas opções de mimos. All star para cachorros, em torno de R$ 50,00, coleiras de couro que variam de acordo com o tamanho de R$ 20,00 a R$ 35,00. Bonés de R$ 8,00 a R$ 15,00.

Colchonetes anti-stress com aromatizantes e ervas que atuam com efeitos tranqüilizantes variam de R$ 30,00 a R$ 60,00 de acordo com o tamanho.

O Pet Center oferece uma variedade de serviços estéticos. Hidratações anti volume, restauração de pêlo, chapinha com um silicone próprio, cauterização, tatuagem com uma tinta especial e petcure. Os serviços variam no preço de acordo com o tamanho dos pelos e do porte do animal.

Localizado na Rua Lamenha Lins n° 2115, os serviços devem ser agendados com antecedência.

Fonte:
Link:

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Cães já recebem ajuda dos avanços da medicina veterinária

e outros vídeos - UOL Notícias

A tecnologia usada para diagnósticos e tratamentos em humanos, está agora ao alcance dos pacientes caninos. No quinto capítulo da reportagem especial sobre cães, você vai conhecer os avanços da medicina veterinária. 
Visite o UOL Notícias

Fonte:
Noticias.uol.com.br/videos
Link:

Conheça o estado de espírito do seu gato sem precisar falar com ele

DUDU - Crédito Imagem: Arquivo Pessoal

Contente? Irritado? Apreensivo? Quer saber qual é o estado de espírito do seu gato?

“Uma das formas de expressão felina é a da cauda, a que se deve associar as expressões das orelhas, dos olhos, da cabeça, do posicionamento corporal, dos bigodes e as vocalizações” diz Firmino Coutinho, da Clínica Veterinária dos Milagres.

Será que o seu gato está contente? Um felino satisfeito está, na maioria dos casos, de cauda levantada e a “murmurar” de tal forma que parece querer dizer alguma coisa.

Quem não gosta de ver um gatinho de barriga para cima? Assim se comportam os gatos que se sentem felizes, seguros e tranquilos, dizem os especialistas.

Mas cuidado! Se o seu gato ficar com o corpo levantado e com o pelo arrepiado, é melhor não se aproximar. É esta a estratégia adotada por estes felinos para impor medo ao inimigo e obrigá-lo a recuar.

As orelhas dos gatos falam por si. Se estão para cima, significam que o gato está concentrado e atento ao que se passa à sua volta. Orelhas para trás revelam que o animal não está a gostar do que está a acontecer. Se as orelhas estiverem coladas à cabeça, então estamos na presença de um gato pronto para lutar.

A cauda destes felinos é o reflexo do seu estado de espírito. Uma cauda repousada, ao lado do corpo, é sinal de serenidade. Por outro lado, uma cauda esticada, ao andar, funciona como uma antena para ajudar o gato a explorar um lugar. Se o felino entrelaça a cauda na perna do seu dono, este é um claro sinal de que necessita de atenção.

Olga Lagoa de Sousa, médica na Clínica Veterinária do Lis, recomenda: “Não nos devemos guiar só pelo aspecto corporal, mas sim por um conjunto de ações e comportamentos felinos”.

“Um dono atento sabe conjugar estas diferentes formas de comunicar e “construir” um significado bastante claro e diferenciado” diz Firmino Coutinho.

O responsável da Clivefar, Clínica Veterinária de Leiria, conta como estes felinos veem os seus donos: “Nos gatos, somos olhados como iguais, e o grau de tolerância que nos é atribuído varia consoante o gato e dos laços que cria conosco, razão pela qual os gatos são normalmente descritos como mais independentes”.
Apesar de não falar, o gato “esforça-se” para que o dono perceba o seu estado de espírito e os seus desejos.

Esteja atento aos sinais!

Fonte:
blogs.jovempan.uol.com.br/petrede
Link:

Gui Pádua adota 15 cavalos e um burro abandonados

O ex-peão contou ao R7 como se envolveu com a proteção de animais

Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal
Gui Pádua se diverte dando banho em um de seus porco adotados

Recentemente, Gui Pádua, paraquedista e ex-participante deA Fazenda (Record), adotou 15 cavalos e um burro vítimas de maus-tratos sem nem conhecer os animais. Eles estavam sendo cuidados pelo PEA (Projeto Esperança Animal).

Após ler uma mensagem no Twitter do grupo de protetores Cavalo Livre contando a histórias dos animais, Gui se prontificou a adotar todos os bichinhos.

O R7 foi conversar com Gui Pádua para saber mais sobre seu envolvimento com a proteção dos animais.

- Sempre gostei de bicho. Fui criado passando as férias na fazenda em Minas Gerais, e sempre aprendi com meu avô a lidar com cavalos, vacas, cachorros, gatos, etc...

Veja Gui Pádua interagindo com seus animais na fazenda

Além dos animais de grande porto, Gui também é apaixonado pelos pets. Ao todo ele cuida de 23 animais, e isso sem contar os que estão para chegar.

Ele tem sete cachorros, sendo que seis foram adotados, nove porcos, sendo seis foram adotados e sete cavalos, sendo cinco dele adotados e um filhotinho de um deles.

Ele contou o que o motivou a adotar os animais sem nunca ter os visto pessoalmente.

- Foi o amor pelos bichos. Eu tenho pasto em abundância em uma zona que eu reflorestei com 40 mil árvores nativas.

- No pasto meu pai criava gado. Eu vendi tudo, porque não suporto criar algo para matar depois! Então quero usar esse espaço em um projeto que eu tenha prazer, não só visando lucro como na época do meu pai – completou Gui.

O paraquedista tem um projeto pessoal de adoção de animais de grande porte, Gui o divulga amplamente no microblog, é o Amigo do Cavalo.

Pádua demonstrou sua insatisfação com a dificuldade que é adotar animais de grande porte no Brasil e a falta de assistência por parte do poder público.

- Adotei cavalos do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de São Paulo, que também tem problema para transportar os animais. Um caminhão do CCZ até minha fazenda custa R$ 2 mil, se eu quiser comprar um cavalo por lá, custa R$ 500. A conta nunca fecha! Só com apoio do governo mesmo!

*Colaborou Ana Luisa Zainaghi, estagiária do R7

Fonte:
entretenimento.r7.com/bichos/noticias
Link:

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Conheça a história de um casal que dedica a vida a cuidar de animais abandonados

Só na cidade de São Paulo, 10% dos cães são abandonados pelos donos 

O abandono de animais, além de um ato criminoso, gera problemas para a cidade. De acordo com uma estimativa, somente na cidade de São Paulo, 10% dos cães são abandonados.

Por outro lado, este ato desperta a solidariedade de muita gente, como é o caso do casal Regina e Cláudio, que sobrevivem com um salário mínimo e cuidam de aproximadamente 190 cães, 40 gatos e até uma tartaruga.

Para tratar do canil eles contam com doações, e o maior estimulante de todos, a vontade de cuidar destes animais indefesos.

Embora a intenção seja boa, o presidente da Associação Protetora de Animais Arca Brasil, explicou que essas não são as condições ideais para criação de animais. Muitos bichos no mesmo lugar pode causar a proliferação de doenças e a disputa por espaço e alimentação.

Saiba mais sobre este assunto assistindo ao vídeo abaixo.


Fonte:
entretenimento.r7.com/bichos/noticias
Link:

Cachorro resgatado das ruas se recupera no RJ

O animal tem uma doença grave e se recupera da terceira cirurgia 

O cão Coragem tem um história de vida inspiradora. Ele sofre de um grave problema de saúde e luta para sobreviver.

O bichinho foi encontrado no meio da rua, na cidade de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro.

Ele foi levado ao pet shop por uma senhora que o encontrou e ficou com dó da condição do animal.

Em apenas cinco meses de convivência, o animal luta por sua vida. Durante o tempo em que viveu nas ruas, Coragem teve suas partes íntimas comidas por pequenos bichinhos e chegou em uma situação realmente triste ao veterinário.

Agora o cão foi adotado por uma família, e na nova casa ele se recupera da terceira cirurgia reconstrutiva.




Fonte:
entretenimento.r7.com/bichos/noticias
Link:

Aprenda a identificar sinais de doença em cachorro

Mudanças de comportamento e alterçaões no corpo do bichinho pedem atenção

Estar sempre disposto para brincar e também para comer é um dos principais sinais de saúde em cachorros. Mas também é importante checar como andam os olhos, a pele e os ouvidos deles: qualquer mudança pode indicar doença.

A técnica de laboratório Valéria de Sousa Loureiro, que tem três boxers - Apolo, Lua e Vênus -, sabe bem disso. Se um dos seus cães fica meio quietinho, ela se preocupa.

- Um dia, eles brincaram mais do que o de costume. À noite, Apolo ficou com diarreia e, logo depois, começou a vomitar. Peguei o carro de noite e o levei direto para a clínica veterinária.

Quantas vezes você leva seu bichinho ao veterinário? Conte!

Como sabe que cães dessa raça são mais propensos a sofrer de doenças cardíacas, Valéria vive atenta.

- Se eles começam a ficar muito ofegantes, mas não melhorarem em 5 ou 10 minutos, tem de procurar o veterinário.

Já a filhote Lua, de oito meses, tem de ficar bem protegida do sol. Branquinha, ela corre mais risco de desenvolver câncer de pele do que seus "irmãos". Por isso, o uso de protetor solar é diário.

Mas, mesmo ficando atento a qualquer mudança no seu bicho de estimação, é importante levá-lo regularmente ao veterinário. É que, por mais que as pessoas estejam informadas sobre a saúde do seu pet, podem não dar a devida urgência a algum sinal, diz Valéria.

- A gente pode tanto exagerar para uma coisa que não tem importância, no susto, ou então achar que uma bolinha não é nada e acabar descobrindo que se tratava de um tumor, como aconteceu em casa.

O veterinário Mário Marcondes concorda com o aviso da técnica de laboratório.

- É como quando os pais vão levar o filho ao pediatra. O médico vai ouvir o que a mãe vai contar, porque ela é quem costuma conviver mais com a criança.

O veterinário explica que, apesar de nem sempre todos os sintomas aparecerem, é importante checar certos detalhes.

- Se região externa do ouvido estiver com alguma secreção, por exemplo, é sinal de inflamação no aparelho auditivo. Já olhos avermelhados também não são bom sinal. Se as veias parecerem maiores, talvez o animal esteja com conjuntivite, infecção ou inflamação.

Até mesmo nas patas podem estar escondidos sintomas de que algo não vai bem na saúde do seu pet. Veja mais no vídeo:


Fonte:
entretenimento.r7.com/bichos/noticias
Link:

Sozinho em casa

Sair para trabalhar e deixar o cão sozinho pode causar Síndrome de Ansiedade de Separação nos pets, uma doença que leva ao estresse e à depressão. 
Veja algumas dicas que podem ajudar você a driblar este problema. 

 -  
Crédito: flickr 

Quem disse que os animais não sentem os efeitos da vida frenética e da correria das grandes cidades? Assim como a gente, os pets também sofrem de estresse, transtornos de ansiedade, solidão e tantos distúrbios que antes se pensava serem comuns somente em humanos.

A rotina agitada de trabalho, trânsito e obrigações profissionais, muitas vezes, exige que deixemos o cachorro sozinho em casa o dia todo. O problema é que alguns animais podem desenvolver Síndrome de Ansiedade de Separação, um dos problemas comportamentais mais comuns em cães.

“O distúrbio ocorre quando os cães são afastados de seus donos ou ficam sozinhos. Com isso, eles passam a apresentar um comportamento inadequado ou indesejado”, explica a Dra. Amanda Cologneze Brito, médica veterinária e assistente técnica do Laboratório Veterinário Mundo Animal.

Aprenda alguns truques para acostumar seu amigo a ficar um tempo sozinho em casa
Crédito: flickr

Segundo a veterinária, os sintomas mais comuns são depressão, latidos excessivos, lambedura descontrolada nas patas ou em todo o corpo, xixi e cocô fora do lugar, destruição de objetos. Além de prejuízos financeiros aos donos, o problema traz tanto estresse ao ambiente doméstico que chega a ser uma das maiores causas de abandono e eutanásia de animais.

Síndrome de Ansiedade de Separação
Mal que atinge cães de todas as raças, portes e idades, o Síndrome de Ansiedade de Separação, quando não diagnosticada ou tratada, traz o estresse para todo o ambiente doméstico.
O trauma é gerado em razão do medo do cão em ser abandonado. Deixado sozinho, o pet sente-se ameaçado, pois não entende que a situação de “solidão” é temporária – somente até os donos voltarem para casa após o trabalho, por exemplo.

Crédito: flickr

De acordo com uma pesquisa realizada pelos alunos da Unicastelo de Fernandópolis, interior de São Paulo, o transtorno acontece em razão do estilo de vida da maioria dos proprietários, que passam muito tempo fora de casa por motivos profissionais e pela falta de disponibilidade para estar com seus cães.

Como evitar:
Fique de olho no comportamento de seu cão: latidos demais, agitação, destruição de objetos e sujeira no lugar errado podem ser sinais de que há algo errado com ele.
Passeie, passeie, passeie: animal precisa de atividade. Leve-o para caminhadas e brincadeiras fora de casa ou no quintal.
Apego: é quase impossível não se apegar ao cão, mas saiba que estudos comprovam que cachorros que dormem na mesma cama de seus donos, por exemplo, são mais propensos ao problema.
Questão de treino: acostumar o cão a ficar sozinho desde filhote é uma dica valiosa. O treino da gaiola é uma boa maneira de ensinar a ele.
Ajuda profissional: procure sempre um veterinário, pois ele tem as respostas para suas dúvidas e é a figura essencial para o diagnóstico do seu cão.

Treino da gaiola
A técnica pode ser aplicada em filhotes a partir de 45 dias de idade e ajuda o animal a se acostumar com ausências durante o dia de trabalho.
Arrume um cercado ou cômodo com espaço suficiente para o filhote se movimentar. O lugar precisa ser arejado, confortável, com água, brinquedos e um cantinho para suas necessidades.
Acostume o cãozinho a ficar, dormir e brincar neste local, mas sem fechar a portinha ou a porta do cômodo.
Depois de uma semana, comece o treino deixando o filhote por um curto espaço de tempo, fechado no local escolhido, sem que tenha contato visual com você.
Quando o tempo acabar, se o filhote estiver calmo, abra a porta e brinque com ele de modo tranquilo.
Vá gradativamente aumentando o espaço de tempo em que o animal fica fechado neste espaço, chegando ao máximo de 1h30.
Antes do treino, não corra atrás do cão para pegá-lo.
Ofereça comida ao filhote 15 minutos depois do fim do exercício.

Texto extraído e adaptado do site do Dr. Mauro Lantzman, veterinário, homeopata e mestre em reprodução animal.

Fonte:
http://petmag.uol.com.br/revista
Link:

Coça daqui, coça dali: é pulga!

Saiba como manter longe do seu animal as pulgas e os carrapatos,

parasitas que podem trazer doenças graves até mesmo para os humanos


Crédito: flickr

Não importa a época do ano, as pulgas e carrapatos estão entre os problemas mais comuns em cachorros e gatos. Isto porque é fácil se infestar nas ruas, nos pet shops, em um simples contato com outros animais ou até em ambientes já contaminados.

Muito mais que coceira
Tanto nos pets quanto nos humanos, o mal não se resume a uma coceira incômoda ou irritação na pele. As pulgas e carrapatos podem transmitir doenças graves. “Cachorros e gatos alérgicos têm dermatites que, se não tratadas, podem se tornar sérias inflamações. Se os parasitas não forem eliminados, há o risco de transmitirem vermes que causam anemia e, ainda, propagar doenças para outros cães ou para as pessoas”, alerta Dr. Leonardo Brandão, Doutor em Medicina Veterinária e Gerente de Produtos da Operação Animais de Companhia da Merial, fabricante dos antiparasitários Frontline®.

Com os carrapatos o problema é ainda pior, pois podem transmitir zoonoses, ou seja, doenças que passam de animais para pessoas. A febre maculosa e a erliquiose são enfermidades agudas cujos maiores transmissores são os carrapatos do tipo Amblyomma Cajennense, mais conhecidos como carrapato-de-cavalo ou carrapato-estrela.

NÃO SE ENGANE
“Um gato de apartamento nunca vai ter pulgas."
As pulgas sobrevivem em qualquer ambiente, interno ou externo. Muitas vezes, as casas ou apartamentos oferecem até condições mais propícias para a proliferação e para o esconderijo de pulgas, sendo que suas larvas ou ovos são muito resistentes a produtos de limpeza. Por isso, é preciso prevenir sempre, mesmo que o animal nunca saia de casa.

"Meu cão está cheio de ‘ovos’ pretos na pele e nos pêlos."
O ovo da pulga é tão pequeno que chega a ser imperceptível. Além disso, é de coloração perolada. Os pontinhos pretos que vemos na pele e nos pelos do animal dos animais são, na verdade, fezes da pulga adulta e o principal alimento das larvas.

"Se meu pet tivesse pulgas, as pessoas também estariam se coçando."
As pulgas dos animais só atacam humanos em último caso, pois preferem cães e gatos. Mesmo assim, o fato de elas não subirem nas pessoas, não quer dizer que não estejam em nossas casas.



Fique de olho pulgas e carrapatos podem aparecer o ano todo, não só no verão.
Crédito: flickr
Tratamento
Hoje, com tecnologia de ponta aplicada aos produtos de uso veterinário, é quase uma brincadeira exterminar pulgas e carrapatos. Os atuais medicamentos têm ação prolongada, estendendo sua função também à eliminação de ovos e novos parasitas adquiridos depois do tratamento.
Muita gente se engana ao pensar que as pulgas só aparecem em determinadas estações. Por isso, vale lembrar que o deve ser estar presente o ano todo, como explica o Dr. Leonardo. “Recomendamos sempre o controle periódico adequado e contínuo nos animais de companhia evitando, assim, transtornos mais sérios. O Brasil é um país de clima tropical, quente e úmido, mesmo no outono e no inverno, e em algumas regiões estes parasitas se multiplicam com facilidade. Por isso, os cuidados devem ser tomados durante todo o ano”, encerra o veterinário.

Serviços:
Frontline® Topspot – cães e gatos
Atua diretamente contra pulgas, carrapatos e piolhos adultos.
Indicado também para filhotes e fêmeas prenhes ou em lactação.
Ação prolongada contra reinfestação.
Aplicação sob o pelo da nuca do animal.

Frontline® Plus – cães e gatos
Atua diretamente contra pulgas, carrapatos e piolhos adultos, além de ovos e larvas das pulgas.
Quebra o ciclo de desenvolvimento do parasita.
Ação prolongada contra reinfestação.
Aplicação sob o pelo da nuca do animal.

Frontline® Spray – cães e gatos
Alívio imediato contra pulgas e carrapatos.
Indicado também para filhotes e fêmeas prenhes ou em lactação.
Ação prolongada, evitando que novos parasitas se hospedem no animal.
Aplicação em forma de spray

Fonte:
petmag.uol.com.br/revista
Link:
http://petmag.uol.com.br/revista/coca-daqui-coca-dali-e-pulga/

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Dono de cão que estava em carro furtado resgata animal em delegacia

Homem foi buscar o cachorro depois de notícia na televisão. 
Cão foi encontrado pela polícia dentro um carro furtado na tarde de quinta (23).

Cosk só saiu do carro após a chegada do dono no local 
(Foto: Reprodução RPC TV)

Um cachorro da raça akita foi encontrado pela Polícia Civil de Cascavel, no oeste do Paraná, dentro de um carro roubado, na tarde de quinta-feira (23), e esperou que o dono fosse buscá-lo até o fim da manhã desta sexta-feira (24). Os policiais recuperaram o veículo no distrito de São João, e o animal estava no banco traseiro. "Tentaram tirar, mas relataram que ele é muito agressivo", explicou o delegado Pedro Fernandes de Oliveira.

A polícia chegou a localizar a proprietária do carro, mas ela informou que o cachorro não era dela. Por volta das 11h30 desta sexta, o dono do cachorro chamado Cosk foi até a delegacia buscá-lo. O homem é vizinho da dona do carro furtado.

“Dos cachorros que eu tenho, ele é o mais dócil, o mais amoroso. É o que eu mais gosto, o meu xodó. Onde eu souber que esse cachorro está, eu vou atrás”, afirmou o dono do animal. Ele também contou que o gosto de Cosk por carros é antigo. "Ele foi criado dentro de um carro, praticamente, porque não gosta de formigas e de abelha."

O delegado, que presenciou o reencontro, ficou impressionado. "Foi uma coisa de outro mundo, nunca vi isso. O dono estava chegando perto do carro, mas o cachorro ainda não o tinha visto. Acho que o animal sentiu o cheiro dele e saiu do carro, e pulou no colo do senhor", contou.

Segundo Oliveira, um amigo do dono do cachorro viu na televisão a notícia do cão que não queria deixar o carro recuperado e relatou. O homem contou que não sabe porque o cachorro se escondeu no veículo da vizinha, mas tem duas suposições. Na casa ao lado vivem duas cadelas, o que pode ter atraído o Cosk. Ou ele pode ter levado um choque na cerca elétrica recém instalada na propriedade onde vive e buscou o lugar para se esconder.

Durante o período em que Cosk esteve refugiado dentro do carro estacionado na delegacia, ele foi tratado pelos funcionários. Recebeu comida e atenção da zeladora.

Fonte:
g1.globo.com/parana/noticia/2012/02
Link:

Cães e gatos ganham unhas postiças especiais

Saiba se o novo acessório prejudica ou não a saúde do bichinho 

Nos pet shops brasileiros, a nova onda é colocar unhas postiças em mascotes. O acessório é feito de uma espécie de silicone, como uma capa protetora, e deve ser fixado às garras do bichinho com uma cola especial.

Essas unhas postiças duram de um a três dias, dependendo dos lugares por onde os animais transitam.

Segundo o esteticista de cães Willian Galhardo, a novidade é usda principalmente em gatos e não prejudica a saúde do animal.

- O que pode acontecer é de haver um desgaste maior dessa unha, se o bichinho sair muito para passear. Mas não incomoda.

Galhardo conta que existe, também, um esmalte especial para animais, importado, que não faz mal aos pets.

- Esse, sim, é mais indicado para cachorros.

No vídeo a seguir, veja outros luxos que chegaram ao mundo animal – como ofurô, banho de hidromassagem com sais revigorantes e colar de cristais e pérolas.



Fonte:
entretenimento.r7.com/bichos/noticias
Link:

Mais da metade dos pets estão acima do peso nos EUA

De acordo com pesquisa, 30% dos bichos de estimação estão com obesidade clínica

A epidemia de obesidade norte-americana já contagiou os pets do país. De acordo com um estudo recente feito pela Associaton for Pet Obesity Prevention (APOP), cerca de 53% dos gatos e 55% dos cães estão acima do peso, e 30% desse total estão com obesidade clínica. 

Obesidade deixa os animais propensos a doenças como diabetes, 
osteoartrite, problemas renais e respiratórios
Crédito: Flickr/Creative Commmons – Mr TGT

Isso equivale a 88,4 milhões de pets gordos nos EUA. No levantamento, foram avaliados 459 cães e 177 gatos. “O número de animais obesos está crescendo”, afirma o médico veterinário Ernie Ward, fundador da APOP.

Questionados, 22% dos donos de cães e 15% dos donos de gatos achavam que seus pets estavam com peso normal quando, na verdade, estavam obesos. “O mais preocupante nessa descoberta é o fato de os proprietários não terem consciência de que seus animais estavam com sobrepeso”, diz o veterinário, que enfatiza suscetibilidade desses pets a adquirirem doenças como diabetes, pressão alta, problemas renais e respiratórios e osteoartrite.

“Como um cirurgião ortopédico, eu vejo o impacto que obesidade tem em cães e gatos com osteoartrite. É muito frustrante ver como o excesso de peso causa dor e desconforto em meus pacientes”, diz o veterinário Steve Budsberg.

Para ele, cabe aos profissionais da área e aos proprietários a reeducação alimentar de seus pets. “Nenhum animal abre a geladeira ou a despensa e se alimenta sozinho. Nós permitimos que nossos animais engordem!”Dr. Ward concorda:” A obesidade animal é um problema das pessoas, não dos bichos.”
Um dos principais fatores que mais contribuem para ganho de peso dos bichos de estimação é a ingestão indiscriminada de petiscos.Uma sondagem online com 210 proprietários revelou que 93% ofereciam guloseimas. "Petiscos são sabotadores silenciosos do emagrecimento," observa Ward, “pois, muitas vezes, escondem um montante significativo de calorias." O veterinário sugere que se ofereçam legumes frescos como cenouras e brócolis.

Para o veterinário nutricionista Dr. Joe Bartges, é preciso fazer um trabalho de prevenção, que passa pela conscientização de médicos e proprietários. ”O principal obstáculo é a convencer os donos o que ‘sobrepeso’ e ‘obeso’ significa, e orientar a comunidade de saúde veterinária a educar os proprietários para evitar e tratar a obesidade dos amigos de quatro patas.”

Fonte:
petmag.uol.com.br/noticias
LInk:

Caubói chama búfalo de estimação como padrinho em cerimônia de renovação de votos de casamento

Que tal ter um bichinho de estimação como esse andando dentro de casa?
(Com Daily Mail)

O casal Ronald e Sherron Bridges tem um fofo animalzinho de estimação chamado Wildthing (algo como Coisa Selvagem, em português). Claro que com um nome desses não se trata de um poodle. O bicho em questão é um búfalo que vive como um gatinho.

Wildthing é como um membro da família, cuida dos três filhos do casal, e tem até mesmo seu próprio quarto na casa dos Bridges, em Quinlan, no Texas (EUA).

O búfalo é tão querido que quando Ronald e Sherron resolveram fazer uma cerimônia de renovação de votos de matrimônio, Wildthing foi chamado para ser o padrinho.

“Ele e o Ronald se adoram. Onde o Ronald vai, Wildthing vai atrás como uma sombra”, contou Sherron.

Desde que nasceu, em maio de 2005, Wildthing é cuidado como um bezerrinho comum. Como um cachorro, o búfalo tem acesso à casa da família e chega a brincar com as pessoas mais próximas.

Claro que como búfalos são animais selvagens e perigosos, os Bridges têm cuidado quando recebem visitas. Mas, pelo menos até hoje, Wildthing tem se comportado muito mais como um poodle do que como membro da espécie de maior mamífero terrestre que pode ser encontrada na América do Norte.

Fonte:
noticias.uol.com.br/tabloide/ultimas-noticias/tabloideana
Link:

Ave foi resgatada por centro em Marina Del Rey. Mira Tweti está cuidando do papagaio em seu apartamento.

Papagaio ganha mimos 
com direito até a 'secador de penas'

Após ser resgatado, o papagaio chamado "Liberdade" ganhou mimos no apartamento de Mira Tweti, diretora de um centro de cuidados de aves em Marina Del Rey, no estado da Califórnia (EUA). Mira usa, inclusive, um secador para secar as penas da ave após o banho. 


Mira Tweti seca as penas do papagaio.
 (Foto: Damian Dovarganes/AP)


Mira Tweti está cuidando da ave em seu apartamento em Marina Del Rey. 
(Foto: Damian Dovarganes/AP)

Fonte:
g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia
Link:

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Cachorro ensina bebê a brincar

Menininho observa mascote mordendo o osso e o imita com brinquedo 


A convivência entre animais e crianças é muito educativa. Prova disso é um vídeo que tem feito sucesso na internet, em que um bebê começa a imitar a brincadeira de um cachorro com sua comida.

Enquanto o bicho se diverte com o osso, o garotinho o observa e, esperto, passa a imitá-lo usando seu brinquedinho.

A dupla está em perfeita sintonia - o cachorro até parece perceber que está sendo observado pelo jovem amigo.

Assista à brincadeira abaixo!



Fonte:
entretenimento.r7.com/bichos/noticias
Link:

Cachorros se divertem debaixo d'água

Descubra os benefícios da natação para a saúde dos animais 

Será que cães podem nadar? Segundo a médica veterinária Elea Bituzzo, não só podem como devem.

- A atividade é comprovadamente benéfica para os cachorros, por vários motivos, como gasto de energia, fortalecimento de musculatura e perda de peso.

A especialista explica que, para os animais, a natação não é vista como um esforço, mas como uma verdadeira brincadeira.

- Dentro desse contexto, ele conquista os benefícios de que precisa. Ajuda muito mais a perder peso do que caminhada, pois o gasto de energia é maior.

Você costuma levar seu cão para nadar? Conte!

Após dar alguns mergulhos, o cachorro também fica muito mais calmo, afirma Elea.

- Tem casos de animais que “acabam” com a casa, de tanta bagunça, e fica bem mais tranquilo após começar a nadar. Ele se desestressa muito. O resultado é muito parecido com o que acontece com as pessoas.

Dê uma olhada numa aula de natação para cachorros no vídeo abaixo.
Fonte:
entretenimento.r7.com/bichos/noticias
Link

Cidade taiwanesa exige aulas prévias para quem quiser animal de estimação

Taipé, 22 fev (EFE).- A cidade mais populosa de Taiwan, Nova Taipé, anunciou que os moradores que quiserem ter um animal de estimação precisarão assistir antes a duas horas de aula, devido ao aumento de casos de animais abandonados.

A medida visa ainda contribuir para que os donos de animais domésticos aprendam a cuidar de seus bichos de estimação e se responsabilizem por eles, de acordo com nota oficial divulgada pela prefeitura nesta quarta-feira.

O prefeito local, Eric Chu, prometeu também criar uma equipe policial especializada em casos de maus-tratos de animais domésticos, e anunciou que equipes de veterinários utilizarão três veículos para oferecer serviços de vacinação, esterilização e implantação de chips para identificação.

Fonte:
noticias.uol.com.br/ultimas-noticias
Link:

Tomar Banho?


TOMAR BANHO OU LAVAR A LOUÇA?
NENHUMA DAS OPÇÕES ANTERIORES, LAVAR O ROSTO
E BEBER ÁGUA!!!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Quais os primeiros animais domesticados?


Acredita-se que o cachorro seja o primeiro animal domesticado. Segundo estudiosos, a relação com o homem iniciou entre 13 mil e 17 mil anos atrás em diferentes partes do mundo. Na realidade, o cão originou-se a partir do lobo selvagem. Os humanos passaram a criar alguns filhotes da espécie que, aos pouquinhos, tornaram-se cada vez mais mansos.

Como os lobos sempre viveram em alcateia (grupo comandado por um líder) adaptaram-se em obedecer às pessoas. Assim, foram usados na vigilância dos acampamentos humanos e proteção contra inimigos (invasores e animais selvagens); também os ajudavam durante as caças. Já nas regiões cobertas por gelo da América do Norte, começaram a servir ainda como meio de transporte – como ocorre ainda hoje.

Existem outras espécies que têm antiga associação com a humanidade. A domesticação do camundongo e da ovelha, por exemplo, aconteceu há cerca de 12 mil anos. Depois vieram a cabra, boi, porco, camelo, cavalo e jumento.

A relação com o gato tem aproximadamente 9.700 mil anos. Entretanto, de acordo com alguns especialistas, os bichanos não foram exatamente domesticados, pois invadiram nosso ambiente e se adaptaram facilmente a ele sem serem dominados.

MUDANÇAS – A domesticação gerou várias transformações nos animais. Além de deixá-los mais mansos, para permitir o convívio com as pessoas, também mudou o corpo. Isso se deve principalmente à interferência do homem na reprodução. Selecionava os bichos com determinadas características e os deixava cruzar apenas com aqueles que eram iguais. Desse modo, surgiram as raças de cães, gatos, bois, entre outros bichos.

Fundamental para o homem
A domesticação de plantas e animais foi fundamental para o desenvolvimento da humanidade, que passou a garantir alimentos (carne, leite e ovos) com mais facilidade. O couro e a lã, por exemplo, permitiram a fabricação de roupas. Cachorro, cavalo, boi, camelo e rena facilitaram transporte e locomoção.

Assim, o homem tornou-se mais preparado para enfrentar os desafios da natureza, como o inverno, e garantir melhores condições de sobrevivência.

Por causa da domesticação e agricultura, deixou de ser nômade (viajar de um lugar a outro em busca de comida) para se fixar em uma região. Isso contribuiu para o surgimento de povoados maiores.
Aconteceu o mesmo com as plantas

Do mesmo modo que os animais, as plantas também foram domesticadas. Há milhares de anos, o homem percebeu que poderia enterrar os grãos encontrados na natureza para obter novas plantas, que se transformariam em alimento. Foi assim que a agricultura surgiu. Não foi desenvolvida por apenas um povo. Apareceu quase na mesma época em diferentes regiões da Ásia, América e África, próximas a rios e lagos. No início, eram utilizadas ferramentas feitas de pedra para preparar o solo. Aos poucos, criaram objetos mais elaborados, como o arado (que serve para remexer a terra) puxado por animais. Hoje, há máquinas supermodernas que fazem o trabalho.
Saiba mais

Já viu Mogli – O Menino Lobo? A animação da Disney, de 1967, é baseada no livro do britânico Joseph Rudyard Kipling, publicado em 1894. Conta a história do menino criado por bichos na floresta. Por mais incrível que pareça, realmente existiram crianças que cresceram na selva apenas com os animais. Um dos casos mais famosos é de Victor de Aveyron, encontrado na França no fim do século 18. Apesar do trabalho de especialistas, ele nunca se adaptou totalmente à rotina humana.

A maioria dos elefantes asiáticos é domesticada, sendo usada em trabalhos e meio de transporte. Na Ásia, elefantes selvagens são raros e ameaçados de extinção.

Apaixonado por animais, Warley Barbosa da Silva, 9 anos, de Diadema, acredita que o cachorro foi o primeiro a ser domesticado pelo homem. “São carinhosos e amigos da gente.” Os bichos preferidos do menino são os pássaros, que ele prefere ver livres na natureza.

Consultoria do professor Francisco Salzano, do Instituto de Biociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e do biólogo Guilherme Domenichelli

Fonte:
blogs.jovempan.uol.com.br/petrede
Link:

O cão é o melhor amigo das mulheres grávidas



Pesquisadores provaram que cães são aliados inusitados para mulheres – especialmente as grávidas. As gestantes que possuem animais de estimação são mais fisicamente ativas que as que não possuem.

A pesquisa descobriu que o bichinho conhecido como o melhor amigo do homem pode ser um grande aliado para manter mulheres grávidas saudáveis e em forma. Através de caminhadas rápidas, as gestantes estavam 50% mais suscetíveis a alcançar a atividade recomendada de 30 minutos por dia.

Há cada vez mais preocupação com os riscos que o excesso de peso e a gravidez causam durante a gravidez, tanto para a mãe quanto para o bebê. Alguns estudos ligam a obesidade materna à obesidade infantil.

A pesquisa estudou a saúde e estilo de vida de mais de 11.000 gestantes no Reino Unido usando dados do Avon Longitudinal Study of Parents and Children. Ao ajudar as gestantes a manterem-se saudáveis, os passeios com o animal podem colaborar efetivamente para uma estratégia de manutenção do peso durante a gravidez.

A Dr. Sandra McCune, organizadora da pesquisa no Waltham Centre for Pet Nutrition, diz, “nós vemos cada vez mais que o exercício na companhia de cães pode proporcionar mais motivação e efetividade”.

A pesquisadora afirma ainda que, “por ser um exercício de baixo risco, caminhar com os bichinhos pode ajudar mulheres que de outra forma dificilmente iriam manter suas metas ou continuar ativas durante a gravidez”. Ela completa que a combinação da caminha com uma dieta balanceada poderá contribuir para uma gravidez saudável. Essa pesquisa foi conduzida em colaboração com a Universidade de Liverpool, Universidade de Bristol, a Universidade da Carolina da Sul e o Waltham Centre.

Fonte:
blogs.jovempan.uol.com.br/petrede
Link:

Cadela heroína perde focinho durante salvamento de duas crianças nas Filipinas

Kabang se atirou na frente da roda dianteira de uma moto descontrolada
A cadela heroica Kabang foi recebida com muito amor e gratidão 
após livrar duas meninas de serem atropeladas por uma moto, nas Filipinas
Reprodução/Twitter

A história da cadela Kabang é emocionante e heroica. Vendo que suas donas corriam perigo, a mascote não pensou duas vezes e saltou em frente a uma motocicleta para salvá-las.

As primas Dina Bunggal, 11 anos, e Princess Diansing, 3 anos, estavam atravessando a rua sem saber que um veículo descontrolado estava indo na direção delas.

No momento em que ocorreria o choque, Kabang, a cadelinha de estimação da família de Bunggal, surgiu do nada e se colocou no caminho da moto.

Conheça outras histórias de cães heróis!

As primas foram atingidas, mas saíram ilesas, assim como o condutor do veículo. O acidente aconteceu na cidade de Zamboanga, nas Filipinas.

Uma testemunha disse que ficou impressionada com a forma como o animal parou a moto, sem medir as consequências. Antes de o veículo bater nas meninas, Kabang colocou sua cabeça na frente da roda dianteira, que, no entanto, continuou se movendo, prendendo o focinho da pet.

Rudy Bunggal, pai de Dina e dono da cadela, também viu como Kabang salvou as meninas.

- Os ossos do focinho superior foram esmagados, e nós não podíamos fazer nada para salvá-la. Apenas a puxamos para fora da roda da moto.

Assim que foi libertada, Kabang fugiu tão rápido que ninguém foi capaz de encontrá-la. A cadela ficou desaparecida durante duas semanas.

Quando ela finalmente voltou para casa, sua aparência estava bem diferente. É que Kabang perdeu a parte superior do focinho. Mas sua família adotiva, é claro, não ligou nem um pouco para essa mudança no visual. Em entrevista para o site internacional Inquirer News, Rudy Bunggal foi apenas elogios à mascote.

- Não importa se Kabang é feia agora. Para nós, o fundametal é que ela salvou nossas crianças, e nunca poderemos agradecê-la o suficiente por isso.

O filipino acredita que o ato heroico do animal foi desencadeado pela proximidade com as meninas.

- Kabang não tem o hábito se sair de casa, por isso foi surpreendente quando ela estava na rua pulando em frente a moto.

Agora, a cadela vem sendo tratada. Ela só se alimenta com a ajuda das patinhas, mas já voltou à rotina de brincadeiras com as amiguinhas, que salvou.


Fonte:
entretenimento.r7.com/bichos/noticias
Link:

VERÃO EXIGE CUIDADOS ESPECIAIS COM OS ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO

Durante a estação mais quente do ano, as altas temperaturas fazem mais que só incomodar o seu animal de estimação. Nesta época do ano alguns cuidados são necessários para garantir a saúde e bem-estar do seu pet. Diferentemente do homem, cães e gatos não possuem glândulas sudoríparas, sendo a respiração a única forma de controlar a temperatura corpórea ideal. Por isso eles ficam com a boca aberta, para que o ar frio entre e resfrie o seu corpo.

Os cães têm uma temperatura normal mais alta do que os seres humanos e perdem calor, ou seja, transpiram somente através da língua e dos coxins (almofadinhas dos pés e mãos) e isso faz com que eles sofram com o aumento da temperatura ambiente.

Cães de pelagem longa ou densa sofrem ainda mais no verão. O aumento da temperatura corpórea do cão pode levar a um estado chamado hipertermia, que pode matar, segundo alerta da médica veterinária Elaine Pessuto.

Doenças relacionadas a dermatites, pulgas e carrapatos, verminoses, intoxicações alimentares e crises de hipertermia são as principais ocorrências durante os meses mais quentes do ano. “O verão brasileiro é quente e úmido e propicia dermatites úmidas, de dobras e as otites. Os cães de pelagem densa e espessa que adoram água são suscetíveis”, explica a Dra. Elaine.

Durante toda a estação é importante manter os animais bem secos, pois a umidade pode levar a dermatites. A Dra. ainda chama à atenção para algumas raças, que devido à conformação, são mais sensíveis ao calor, como é o caso por exemplo do bulldog francês e do bulldog inglês, cães que possuem o focinho achatado, o corpo compacto e
pesado, condição que os deixa ainda mais predispostos a hipertermia.

No verão é ideal fazer passeios cedo pela manhã ou no final da tarde. Imagem | SXC
No verão é ideal fazer passeios cedo pela manhã ou no final da tarde. 
Imagem | SXC

“No verão o ideal é fazer passeios no inicio da manhã e no fim da tarde. As raças de pelo longo e/ou espesso e os braquicefálicos (cães com focinho curto) devem ainda passear quando o sol já baixou no céu”, ressalta a médica veterinária.

Beber bastante líquido é outra dica valiosa. Oferecer água de coco e frutas geladas também são ótimas opções durante o verão. “Sempre ao passear é importante ter água fresca para o seu animal, existem garrafinhas que já tem acopladas um recipiente para colocar a água”, finaliza a especialista.


Fonte:
consumidormoderno.uol.com.br/relacionamento
Link: